Para criar empregos para jovens, Maurão de Carvalho propõe abrir vagas de estágio no Governo

28 de setembro de 2018

O candidato a governador Maurão de Carvalho, da coligação “Rondônia, unidos somos fortes”, disse que a dificuldade de os jovens terem acesso ao primeiro emprego precisa ser enfrentada e apresentou a proposta de criar, dentro da estrutura do Governo, vagas de estágio remunerado para jovens entre 18 e 23 anos, para atuarem em atividades administrativas nas secretarias estaduais.

O modelo defendido pelo candidato já existe na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros, com a aprovação pela Assembleia Legislativa, oferecendo vagas de estágios. Ao participar de reuniões e de entrevistas, Maurão de Carvalho tem explicado a sua proposta.

“Quero dar oportunidade aos jovens, como fiz na Assembleia, onde oferecemos 250 vagas de estagiário e menor aprendiz, através de parceria com o CIEE. Esses jovens estudantes ganham seu dinheiro, têm a primeira experiência profissional e abrem espaços no mercado de trabalho”, explicou.

Para Maurão, o jovem quer trabalhar, quer ter seu dinheiro, quer ajudar a sua família e enfrenta dificuldades na busca pelo primeiro emprego. “Precisamos preparar o jovem para o mercado de trabalho, por isso queremos criar as escolas profissionalizantes. Em paralelo, queremos estabelecer parcerias com instituições que promovem cursos de qualificação profissional e incentivar as empresas a criarem vagas especificamente aos jovens”, completou.

Projeto aprovado cria vagas para jovens

Em março de 2017, a Assembleia Legislativa aprovou o projeto do Governo, criando na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros, o Programa de Prestação Voluntária de Serviços Administrativo, nos termos da Lei Federal no 10.029, de 20 de outubro de 2000, abrindo vagas para os jovens atuarem em funções administrativas nas duas corporações.

Com a medida, além de criar empregos para jovens, entre 18 e 23 anos, retirou de serviços administrativos e burocráticos policiais militares e bombeiros, que passaram a atuar no serviço operacional. “Quero ampliar esse modelo para as demais secretarias, criando mais oportunidades de empregos para os jovens, abrindo espaços para o enriquecimento de suas futuras carreiras, além de outros benefícios”, acrescentou.

Maurão defende que o ingresso dos jovens ao programa seja através de aprovação em processo seletivo, destinando 10% das vagas para portadores de necessidades e especiais e outras 30% para alunos oriundos da rede pública de ensino.